+ Notícias

  • Crédito: Getty Images Sport

    Budinger mostrou na temporada 2019 que está bem adaptado ao vôlei de praia.
  • Crédito: Getty Images Sport

    Com a camisa do Indiana Pacers, Chase Budinger enterra na NBA, contra o Sixers.
  • Crédito: Getty Images Sport

    Nesse ano, Patterson/Budinger conquistaram um título no acirrado circuito da AVP.

Ex-NBA, Chase Budinger faz sucesso na areia

Ao lado de Casey Patterson, jogador conquistou uma etapa da AVP 2019 e sonha com Olimpíadas
Por: Redação - 07/11/2019 13:02:25
230 visualizações

Vários são os atletas profissionais que se destacam em um esporte e se aventuram em outras modalidades. Tricampeão da NBA e no auge da carreira, Michael Jordan, por exemplo, assinou um contrato com o Chicago White Sox, time da liga profissional de beisebol dos Estados Unidos (MLB) - mais tarde, ele retornaria ao basquete para conquistar outros três títulos e ser considerado o maior de todos os tempos na modalidade. Outro exemplo é o ex-jogador de basquete Chase Budinger, que trocou a bola laranja pelo vôlei de praia.

Em 2009, Budinger foi draftado na NBA com a 44ª escolha daquele ano e foi parar no Houston Rockets. Também atuou com as camisas do Minnesota Timberwolves, Indiana Pacers e Phoenix Suns até 2016. Ao todo, foram 407 partidas na principal liga de basquete do mundo. Na última temporada, já aposentado do basquete, ele trocou as quadras pela praia. Jogou o circuito norte-americano de vôlei de praia (AVP) ao lado de Sean Rosenthal e conquistou um segundo lugar no Open de São Francisco.

A transição entre os esportes aconteceu naturalmente, segundo Budinger, que já havia praticado voleibol na infância. “Quando você sobe e vê que a bola está no ar, seja no basquete ou no vôlei é um momento perfeito e você sabe que algo especial vai acontecer. Cresci entre as duas modalidades e era meu plano voltar ao vôlei de praia após terminar minha carreira na NBA. Na praia você pode jogar por muito mais tempo que nas quadras”, comentou o jogador.

Na atual temporada, Chase Budinger passou a jogar com o experiente Casey Patterson e obteve seis pódios em sete torneios disputados na AVP, incluíndo o título da etapa de Hermosa Beach, em julho. A parceria também rodou o Circuito Mundial e ficou entre os cinco melhores times em três oportunidades.

Já adaptado à rotina da praia, Budinger afirma que o estilo de vida da modalidade foi determinante para a mudança. “O estilo de vida é muito divertido, você poder ir para a praia todos os dias. Vou de bicicleta todos os dias ao trabalho, passo algumas horas sob o sol praticando, isso é muito bom. A sensação de vencer um título na AVP é incrível. Tivemos uma dura batalha na final, em três sets, e fechei a partida em um bloqueio, e só lembro de virar para trás e falar para o Casey ‘sim, nós conseguimos’”, disse.

Aos 31 anos e em alta no tour americano, Budinger não esconde seu grande sonho, disputar as Olimpíadas. “Eu gostaria de ter tido uma carreira mais longa no basquete, mas as coisas acontecem por alguma razão e não tenho arrependimentos do meu tempo em quadra. Mas essa jornada acabou e eu segui em frente. E alcançar as Olimpíadas é o que vou tentar no vôlei de praia, esse é meu objetivo”, finalizou.

Patterson/Budinger está atualmente na 6ª colocação na corrida olímpica para representar os Estados Unidos em Tóquio 2020, com 2.600 pontos no ranking olímpico provisório. O país poderá ter até dois representantes no torneio olímpico do ano que vem, caso esses times estejam entre os 15 primeiros no ranking olímpico. Atualmente, Trevor Crabb/Tri Bourne é o único time norte-americano bem ranqueado, na 11ª colocação (5.960 pontos), seguidos por Jake Gibb/Trevor Crabb (5.700).


Gol Linhas Aéreas Nissan
Compartilhe



Veja também...

    Deixe um comentário

    Seu e-mail não será publicado. Campos Obrigatórios *

    Publicidade
    Publicidade
    Publicidade